JAMAC no MAM


Abertura: 10 de dezembro, 2022
Horário: 10h

 

O Jardim Miriam Arte Clube está na fronteira entre um projeto artístico e um espaço cultural. Fundado em 2004, é um lugar de encontros, de formação, de ações e intervenções artísticas. Trata-se de um projeto simultaneamente artístico e social, liderado pela artista Mônica Nador, com um grupo de colaboradores do bairro paulistano Jardim Miriam. Entre os propósitos do trabalho desenvolvido no JAMAC está o de contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos moradores da região e desenvolver a noção de cidadania.

Isso é possível porque o trabalho do JAMAC age diretamente sobre a sociedade e sobre as comunidades com as quais dialoga. Os projetos artísticos realizados se aproximam da noção de autoria compartilhada, ou seja, é um trabalho construído coletivamente, muitas vezes frutos de oficinas ou proposições que promovem o entrecruzamento de diferentes referências e saberes.

A obra do JAMAC possui uma vocação para o espaço aberto, público, de acesso livre e gratuito, tal como o Jardim de Esculturas do mam. O local em que está instalado é justamente na divisa entre a marquise do Parque Ibirapuera e o jardim projetado por Burle Marx, um espaço de exibição de longa duração do acervo do mam, com esculturas e instalações. A estampa do JAMAC foi impressa sobre telas que cobrem parte da fachada do museu e protegem o visitante da marquise no período que antecede a reforma desse marco da arquitetura moderna, espaço frequentado por skatistas, turistas ou interessados em arte.

Motivos de plantas e folhas se intercalam em pares numa composição dinâmica e com fortes contrastes. O mesmo padrão é apresentado em diferentes versões, com variações de fundos e cores, como o vinho, o amarelo, o laranja, o turquesa e o roxo. Paralelo à ação no Jardim, foi feito um minidocumentário sobre o processo, realizado pela colaboradora Thais Scabio, que fundou o núcleo de audiovisual do JAMAC.

A fachada realizada pelo JAMAC para o museu funde elementos da construção civil com imagens derivadas da flora. O projeto traz a força da produção da periferia para o mam. E, além disso, o trabalho reforça o uso da marquise e do Jardim do mam como um espaço de convivência com a arte e com os outros, um espaço de partilha do comum.

Cauê Alves
Curador-chefe do MAM
Jardim Miriam Arte Clube (JAMAC). Embaúba/Matinho de beira de rio (2020-2022). Foto: Bruno Leão (EstúdioEmObra)

 

Assista ao minidocumentário da obra