Projeto Parede | Desapropriação, Natural, Observação, Caatinga, Seca 17 AGO - 15 NOV


A imagem da seca é compreendida como parte da identidade da região Nordeste do Brasil, algo que supostamente não diz respeito apenas ao clima, e que cria narrativas, imaginários coletivos, políticas públicas e grandes obras. Esta representação está diretamente ligada, por exemplo, à criação de programas, campanhas e instituições como o DNOCS (Departamento Nacional de Obras Contra as Secas).

Açudes, canais, represas, barreiras, paredes são consequência de parte destas narrativas da seca e produzem uma alteração na paisagem natural. Sua justificativa geralmente se dá pela diminuição das desigualdades, embora muitas vezes ampliem a noção de injustiça.

Como compreender que alguém não possa ter acesso à água de um canal construído com o discurso de levar água para esse alguém? Ao mesmo tempo, como podemos intervir e pensar uma política hídrica sustentável considerando a concentração de pessoas em grandes cidades?

*Como parte deste trabalho será publicado na Wikipédia o verbete “injustiça hídrica” durante o período da exposição. link temporário do verbete aqui: bit.ly/InjusticaHidrica

 

Vitor Cesar e Enrico Rocha
(Fortaleza, CE, 1978, e Fortaleza, CE, 1976)

Desapropriação, Natural, Observação, Caatinga, Seca, 2018
Madeira e chapa galvanizada